segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Poema Momento

Você é o veneno que eu gostaria de morrer
Você é o sangue que me faz correr
A droga que me enlouquece
O fogo que me aquece
Você me faz correr atrás
Porra você é demais
Eu faço, mas do que posso.
Encho seu corpo e transbordo
Você é a morfina da minha dor
O frescor no ardor
Nossa você me consome
Tira toda a minha fome
O que me faz ultrapassar os limites
Será que você me permite?
Só quero um pouco de atenção
E mas paixão
Você me fez desacreditar no amor
Arrebatou as esperanças de um sonhador
Eu quero ser importante
Não só, mas um amante.
Eu me perco
Só para te achar
Será que dá para me notar?
Bato o pé firme
Procurando algo que me afirme
Penso em me matar me apagar
Será que é a melhor opção a tomar?
Mas a vida é surpreendente
Vai alegrar, mas uma carente.
De felicidade ausente...