domingo, 29 de dezembro de 2013

Unnamed

Oi vida
Descobrir - me hoje
Sou poeta
Poeta imundo
Poeta sujo
Aquilo que você pensa que eu sou
Homem de muitas faces
Com vários trajes
Vivendo aquilo o que da vida aprendi
Ate o que minha mãe acha diferente um tanto assim
Posso ser dançarino , cantor ou até compositor
Depende do que a vida propor
Desculpe vida por agir um tanto errado
Mas sua recíproca me tem estressado
Mas haja o que houver
Na paixão ou na ralé
Serei sempre eu mesmo
É o que eu mas venero
Ser de verdade
Chega de mentiras
Renegação do próprio ego
Quero me olhar no espelho 

E dizer : Eu sou você de verdade
Obrigado vida por seus ensinamentos
Paro ano vai servir em muitos momentos
Momentos que eu quero aproveitar para peneirar
E do melhor poder aproveitar
Obrigado vida pelas grandes pessoas
Que aparecem em minha vida,são tão boas 

Pequena

Eu não sei nada sobre ti
Tu não sabes nada sobre mim
Não julgues esse nobre vagabundo
Que te daria o mundo
Só por você
Pequeno é seu coração
Diante da beleza do seu sorriso
E da minha emoção

Pequena

Quero deitar no seu colo
Sentir seus olhos nos meus olhos
Deslumbrando felicidade
Vejo o sol raiar dentro de você
Vejo minha emoções que só querem te ver
Não quero só a utopia do querer
Posso estar aonde merecer
Será que um dia você ainda pensa ?

Pequena

Hoje eu queria ver lá bem do fundo
Nos extremos do mundo
Quais as cores para te prender
O que preciso fazer ?
Talvez nem eu mesmo saiba
Onde essa história toda caiba
Será das minhas anedotas
Ou nos mitológicos contos de história

Pequena 
Não entenda...
Aprenda
Sinto o amor
E faço valer a pena...

Pequena...


domingo, 15 de dezembro de 2013

Amigo Violão

Rouba me pra ti 
Toma me assim 
Me leva 
Me joga 
Mas jamais toque no meu violão 
Violão pedaço de mim 
É o que o mundo me faz transmitir  
A alegria pra ser feliz 
Mas quando eu dedilho 
Volta me a lembrança da minha raiz 
Ai é que está o meu brilho 


Violão companheiro de fé 
Mostra-se sempre de pé 
Na riqueza e na ralé 


Violão amigo nos dê essa alegria coletiva
Eleva essa voz expressiva 
Ouça meus segredos 
Meus anseios 
Por isso quero repetir 
Roube tudo que puder 
Nada irá influir 
Se não for meu amigo violão 


Violão companheiro de fé 
Mostra-se sempre de pé 
Na riqueza e na ralé 

Tristeza

Eu estou  triste
Por isso se afaste
Acho que preciso de alguém
Até mesmo um zé ninguém
Estou no escuro do mundo
Fútil sentimento imundo
Tentativas em tentativas, vou acertando
Competência ? fora dos planos...

Meu ego em baixa temporada
Auto estima rebaixada
Sabemos ,não somos nada

Tolamente tento estar bem sempre
Pareço até estar doente
Caio em tristeza
Quando mas preciso de destreza
Dentro de mim eu tenho a cura
Essa parece ser a forma mas segura
Obrigado por não ser aceito aqui
Por ter me recusado ali

Meu ego em baixa temporada
Auto estima rebaixada
Sabemos ,não somos nada


Talvez o azar seja meu companheiro
Amigo para todas as horas parceiro
Pesadelo misturado com medo
E nem mesmo assim eu padeço
Procuro quem sofra comigo
Isso sim seria um amigo