sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Burguesia

É, a vida é mesmo uma farsa
Pilantra maldito com seus comparsas
Burguesia lixo do mundo
Quanto mais dinheiro mas imundo
Mundo sujo
Sobrevivendo na humildade
Com muita solidariedade
Seu poder não pode me comprar
Filhinhos de papai vão se ferrar

Não quero o lixo ,que você consome
Vou te quebrar, sem considerar seu nome 

Seu dinheiro não pode comprar minhas idéias
A desigualdade me dá uma odisseia
Pobres reprimidos por falta de dinheiro
Salário mínimo não compra o tênis maneiro
Não quero as drogas que você me dá
Não quero ver a policia racista me revistar
Cidade com problema de estrutura
Eu quero uma ruptura..

Não quero o lixo ,que você consome
Vou te quebrar, sem considerar seu nome 

Faço minhas palavras as palavras de Cazuza
"A burguesia fede..."

Um comentário:

  1. Preste atenção na hora de digitar. Há versos com problemas, como "Seu dinheiro não não comprar minhas idéias" ("não" no lugar de "vai"). Abraços e sucesso com o blog!

    ResponderExcluir